Estudo de novas tecnologias para fabricação de componentes eletrônicos

Ensino Pesquisa Extensão

Nome oficial do projeto: Amplificadores CMOS baixa potência para sensores bioelétricos ativos

Coordenador: Volney Coelho Vincence

Participantes: Volney Coelho VincencePedro Bertemes Filho, Ilson Xavier Zanatta, Ronny Knoch Gieseler

Início: 01/03/2011
Término: 31/12/2011

 

Objetivo:

Nas pesquisas atuais em biomédica, o carbono, em sua forma de nanotubos ou grafeno, está tomando grande espaço. Isto está ocorrendo devido ao fato do carbono apresentar Gap perto de zero, alta mobilidade de carga e suportar altas densidades de cargas (1×10-8A/cm²) com características eletrostáticas ideais para uso em circuitos integrados.O grafenoé uma dispersão de carbono em uma única camada. Apresenta maior

facilidade na fabricação em comparação com os nanotubos devido a não necessidade de preocupação com quiralidade, alinhamento dos mesmos e como fazer, de forma eficiente, a dispersão desse material em uma estrutura mais rígida, mas ainda há dificuldade em produzir grafeno homogeneamente distribuído.

No grafeno, os portadores de carga no canal bidimensional podem mudar de elétrons para buracos com a aplicação de uma tensão de porta, na densidade mínima (Dirac), formando assim o efeito ambipolar. O gap perto de zero limita boas características ​on/off e estudos estão sendo realizados para tentar melhorar essa característica.

O estudo realizado no presente trabalho pretende modelar, simular e produzir esses transistores para serem utilizados em aplicações eletrônicas de baixo custo e consumo. Pelas simulações já realizadas pelo programa PSPICE®, pode-se identificar a utilização do transistor de efeito de campo de grafeno como retificador, oscilador e como multiplicador de funções.

Devido ao aprendizado tido com o software PSPICE®, foi ministrado um minicurso durante a XI SETEEL sobre simulações e como criar componentes.

Leave a Reply