Empresas se juntam para criar construtora de projetos de energia marinha

Publicado por: Em: 15/05/2012

Crédito: Divulgação Pelamis

Dois grandes players do setor elétrico – a espanhola Abengoa e a estatal sueca Vattenfall – se juntaram à britânica Babcock, de serviços de engenharia, para criar a Nautimus. A nova companhia vai prestar serviços para investidores do setor de geração marinha – oferecendo desde projetos até a construção efetiva de usinas submarinas e maremotrizes.

Segundo os fundadores, o objetivo é preencher o vazio que os empreendedores encontravam no mercado ao procurar projetistas na área, principalmente para a instalação de usinas em regime EPC – em que o projeto é entregue totalmente pronto.

Sediada na Escócia, a companhia deve ter como primeiro cliente a Aegir – joint venture entre Vattenfall e Pelamis Wave Power, que construirá uma usina de 10MW movida a ondas em Shetland. A construção deve ter início em 2016.

A Nautimus destaca que será um agente “tecnologicamente neutro”, que poderá atuar lado a lado com desenvolvedores de turbinas, como a Pelamis, e com geradores, como a Vattenfall e a Abengoa, além de qualquer outra empresa interessada em investir na energia marinha.

Segundo os fundadores da empresa, a falta de EPCistas no setor era um gargalo que poderia se tornar um problema significativo no desenvolvimento dessa forma de geração, que, segundo eles, deve se tornar mais relevante no mundo ainda antes de 2020.

O chefe do departamento de pesquisas em redução de emissões da Vattenfall, Veijo Huusko, afirma que “esses projetos são grandes e difíceis” e que “a participação de players de industriais grande escala com a força e a capacidade de entregar (as usinas) é crítica para o setor”.

A geração de energia em alto mar já recebeu investimentos, a título de pesquisas, de grandes players como as alemãs E.On e Siemens, a espanhola Iberdrola e a austríaca Andritz Hydro.

Fonte: Jornal da Energia

Leave a Reply