A acessibilidade em crescente evidência

Publicado por: Em: 08/12/2011

 
Bengala.jpg

Nos primeiros quadros, o deficiente visual utiliza a bengala comum. Na sequência a BLE evita o acidente.

Pesquisadores do mestrado em Computação Aplicada da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) desenvolveram um projeto inovador de inclusão social para deficientes visuais. A Bengala Longa Eletrônica (BLE) funciona como um instrumento de locomoção usado por cegos, atuando para evitar que o deficiente visual se machuque ao atingir obstáculos que estejam acima da linha da cintura.

As bengalas tradicionais dificilmente evitam que o cego colida com obstáculos como telefones públicos, toldos, lixeiras e outras barreiras físicas comuns nos centros urbanos. A BLE une a tradicional “técnica de toque” dos objetos que estão no chão com o recurso vibratório e sonoro para alertar sobre os obstáculos mais altos.

No mês de novembro, a presidente Dilma Rousseff anunciou o Plano Nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência, chamado de Viver Sem Limite. Através da Finep, até o final do ano será lançada uma chamada pública para disponibilizar R$ 20 milhões em recursos não reembolsáveis, para subsidiar pesquisa e desenvolvimento de tecnologias assistivas em convênio com universidades e centros de pesquisa.

A partir de 2012, integrantes do grupo PET e outros acadêmicos do curso de Engenharia Elétrica da UDESC, sob orientação do professor Fabrício Noveletto, passarão a desenvolver tecnologias de caráter assistivo em parceria com a Associação de Deficientes de Joinville – ADEJ, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE e a Associação Catarinense de Ensino – ACE. As ações fazem parte das atividades que serão realizadas através do projeto de extensão “Assistiva, tecnologia para a inclusão social”, aprovado pela Pró-reitoria de Extensão da UDESC na reunião do Comitê de Extensão, realizada em 05/12/2011.

2 Responses

  1. Adriano Oliveira Pires
    Adriano Oliveira Pires 10/12/2011 at 16:44 |

    Estamos juntos nessa Knabben?!

    Um abraço!

Leave a Reply